Cripto

Investidor institucional ainda evita cripto, diz gestor veterano

Para Anthony Scaramucci, fundador da SkyBridge, nova classe de ativos é dominada por apenas 10% da comunidade de serviços financeiros, como na onda pontocom da década de 1990

Grandes gestoras ainda evitam criptoativos, diz Scaramucci
Por Joanna Ossinger
27 de Setembro, 2021 | 07:21 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Manchetes à parte, a grande maioria dos gestores permanece hesitante em relação às criptomoedas e à tecnologia blockchain, de acordo com Anthony Scaramucci, fundador da SkyBridge Capital e conhecido entusiasta das moedas digitais.

A nova classe de ativos é dominada pelo que Scaramucci estima ser cerca de 10% da comunidade de serviços financeiros, disse em entrevista na quarta-feira, comparando a onda com a expansão das pontocom na década de 1990.

“Os institucionais não estão lá”, disse Scaramucci. “Qualquer um que diga que há adoção institucional neste espaço não está sendo totalmente honesto, ou está vendo algo que não estou.”

Quando e como gestores convencionais, como fundos soberanos e fundos de pensão estaduais e locais, começarão a comprar criptomoedas é tema de debate. Os preços subiram, e bancos correram para incluir ofertas aos clientes. Empresas financeiras como a Fidelity Investments, que fornece serviços institucionais, contratam profissionais especializados e se preparam para o crescimento.

PUBLICIDADE

No entanto, a volatilidade dos preços e a incerteza regulatória pairam sobre o setor, mantendo gestores de patrimônio mais conservadores à margem e levantando questões se as criptomoedas são apropriadas para investidores de varejo.

Scaramucci também prevê que algum grande banco, frustrado com a pegada crescente das finanças descentralizadas, “acabará comprando uma Coinbase ou algo relacionado às criptomoedas para que essa transformação” ocorra mais rapidamente do que o previsto.

Além disso, investidores agora aplicam seus mandatos com mais flexibilidade. Fundos de hedge estão migrando para o private equity e venture capital, e empresas de venture capital mantêm ações por mais tempo do que antes após as ofertas públicas iniciais. A SkyBridge também está adquirindo participações em mais empresas privadas, incluindo Chime, Plaid, Klarna e Genesis Digital Assets. “Isso é uma coisa que não teríamos feito há dez anos e está se acelerando”, disse.

Na conferência SALT no início do mês, Scaramucci anunciou um fundo da Algorand, que espera lançar nos próximos meses para somar-se aos fundos de bitcoin e ethereum existentes. E, no início da semana passada, lançou o ETF First Trust SkyBridge Crypto Industry and Digital Economy (CRPT) que, segundo ele, se concentrará em 30 empresas de capital aberto que vão liderar o mundo das finanças descentralizadas.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Bluefit deve adiar estreia de ações na B3: fontes

PUBLICIDADE