PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Banco Inter fecha acordo de compra da fintech USEND para ingressar no mercado dos EUA

“O Inter terá a vantagem de contar com estrutura e base de clientes sólidas, se posicionando como um full digital banking nos EUA”, disse o CEO do Inter, João Vitor Menin

Inter não divulgou o valor da aquisição da fintech americana USEND
27 de Agosto, 2021 | 11:45 am
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — O banco digital Inter, sediado em Belo Horizonte (MG), vai entrar no mercado norte-americano. A companhia, controlada pelo clã do bilionário Rubens Menin, dono da construtora MRV e da CNN Brasil, fechou acordo para aquisição de 100% da USEND, fintech norte-americana. O valor do negócio não foi informado.

Veja mais: Fintech Cora recebe mais de R$ 600 mi para crescer em serviços financeiros para pequenos empreendedores

Com mais de 150 mil clientes, a USEND oferece serviços de remessas de dinheiro entre países, com licença de instituição financeira em mais de 40 estados dos EUA, opera no mercado de cartão de débito, gift cards e recarga de celulares e deve lançar plataforma de investimentos e seguros, além de cartão de crédito, até o fim do ano.

O Inter, que diz ter 13 milhões de clientes no Brasil, espera ampliar a oferta de serviços e produtos fintech e competir com Chime e SoFi pelos clientes digitais. Com a união, o banco planeja investir em marketing on-line, alavancando a base de clientes, e acelerando a captura de participação (share) dentro do mercado dos EUA.

PUBLICIDADE

“Com a aquisição da USEND, o Inter terá a vantagem de contar com estrutura e base de clientes sólidas, se posicionando como um full digital banking nos EUA, oferecendo produtos e serviços mais baratos, justos e eficientes”, disse o CEO do Inter, João Vitor Menin.

O negócio ainda depende de aprovações regulatórias. “A consequência será fortalecer a competição das fintechs nos EUA, levando as soluções da USEND e o nosso know-how de digital banking, sendo a primeira empresa brasileira do segmento a fincar os pés de forma firme nos EUA”, destacou o executivo.

Há em curso um movimento de bancos digitais brasileiros de olho no mercado americano. O Nubank prepara sua estreia sua listagem na Bolsa americana, onde a XP estreou em dezembro de 2019. A oferta inicial de ações (IPO) pode levantar mais de US$ 2 bilhões na Nasdaq em uma operação esperada para ser concluída em três meses.

Leia também


Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.