promo
Saúde

Delta Air Lines cobrará US$ 200 por mês de funcionários não vacinados para ajudar com custos de saúde

A taxa se aplica aos funcionários que tenham plano de saúde da companhia aérea e que não receberam vacinas até 1º de novembro

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Delta Air Lines Inc. imporá uma sobretaxa mensal de US$ 200 aos funcionários que não foram vacinados contra a Covid-19, tornando-se a primeira grande empresa dos EUA a cobrar uma multa para incentivar os trabalhadores a se protegerem.

A nova política foi delineada em um memorando da empresa nesta quarta-feira do CEO Ed Bastian, que disse que 75% dos trabalhadores da transportadora já estão vacinados. O aumento dos casos de coronavírus associados a uma variante “muito agressiva” está levando todos os funcionários a tomar as vacinas, disse ele.

A taxa se aplica aos funcionários que tenham plano de saúde da companhia aérea e que não receberam vacinas até 1º de novembro. A empresa também exigirá testes semanais para os funcionários que não forem vacinados até meados de setembro.

A Delta não tornou obrigatória a exigência de vacina como a imposta no início deste mês pela United Airlines Holdings Inc. e um número crescente de outras empresas. O Goldman Sachs Group Inc., o Google da Alphabet Inc. e o Facebook Inc. também anunciaram exigência de vacinas.

Embora as exigências de imunização tenham aumentado desde que a vacina da Pfizer Inc. e da BioNTech SE receberam a aprovação total da FDA (Food and Drug Administration) na segunda-feira, alguns empregadores estão agindo com cautela por medo de pressionar os funcionários e estimular deserções em um mercado de trabalho apertado. Alguns consultores de saúde duvidam que as sobretaxas sejam tão persuasivas quanto as obrigações.

A cobrança para funcionários não vacinados é “para lidar com o risco financeiro” de sua decisão, disse Bastian. A média de internação hospitalar para pacientes da Covid-19 custou à Delta US$ 40 mil cada, disse ele.

“Com o anúncio desta semana de que o FDA concedeu a aprovação total para a vacina Pfizer, a hora de você se vacinar é agora”, disse Bastian.

De acordo com a nova política, qualquer funcionário que não esteja totalmente vacinado até 12 de setembro será obrigado a fazer um teste semanal de coronavírus “enquanto as taxas de casos na comunidade são altas”, disse a nota.

Os funcionários que não foram vacinados devem usar máscaras em todos os ambientes internos, com efeito imediato. A Delta também disse que a partir de 30 de setembro, a proteção salarial da Covid será fornecida apenas aos trabalhadores que receberam as duas vacinas, mas que ainda assim ficarem doentes.

-- Com John Tozzi

Veja mais em Bloomberg.com

Leia mais

Japão coloca 70% da população sob estado de emergência para conter delta

Goldman Sachs passa a exigir vacina e máscaras no trabalho para combater a variante delta