promo
Negócios

Justiça nega pedido de arresto de R$ 50,7 bi da Vale, BHP

Decisão do juiz Adilon Cláver de Resende, da 2ª Vara Empresarial da Comarca de Belo Horizonte, considerou a medida como “inoportuna” e de efeito negativo para todos os lados

Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — A Justiça Federal de Minas Gerais negou o pedido dos promotores do estado de Minas Gerais de arresto de R$ 50,7 bilhões da Vale e da BHP, informou o G1 nesta quinta-feira (19). A decisão foi do juiz Adilon Cláver de Resende da 2ª Vara Empresarial da Comarca de Belo Horizonte, que considerou a medida como “inoportuna” e de efeito negativo para todos os lados.

Os promotores argumentavam que as duas empresas ultrapassaram os limites do poder de controle previstos na lei da SA antes e depois do caso do rompimento da barreira da controlada Samarco, em Mariana, em 2015, que provocou mortes e um desastre ambiental na região.

Veja mais: Riscos para crescimento abalam metais e derrubam minério e cobre

Os promotores pediam a desconsideração da personalidade jurídica da Samarco e a suspensão do regime de recuperação judicial da empresa.

Ontem, a Samarco disse que ainda não tinha sido notificada e que se manifestaria nos autos oportunamente. A empresa defendeu a recuperação judicial como a alternativa para manter empregos e benefícios para as comunidades de Minas Gerais e do Espírito Santo, por meio da geração de impostos, além de possibilitar a manutenção das ações de reparação e compensação de danos relativos ao rompimento da barragem.

Leia também

Toni Sciarretta

Toni Sciarretta

News director da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista com mais de 20 anos de experiência na cobertura diária de finanças, mercados e empresas abertas. Trabalhou no Valor Econômico e na Folha de S.Paulo. Foi bolsista do programa de jornalismo da Universidade de Michigan.