PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Gigantes chinesas Xiaomi e AliBaba anunciam expansão no varejo brasileiro

Fabricante de smartphone terá mais lojas oficiais em shopping centers nas principais capitais, enquanto a AliExpress, serviço de vendas internacionais do Grupo Alibaba, vai abrir plataforma para vendedores brasileiros

Xiaomi vai abrir mais lojas oficiais em shopping centers no Brasil
17 de Agosto, 2021 | 05:38 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

São Paulo — Duas gigantes chinesas anunciaram, nesta terça-feira (17), ações para aumentar sua presença no varejo brasileiro. A Xiaomi, segunda maior fabricante mundial de smartphones, informou que vai retomar o plano de ampliar sua atuação no Brasil por meio de novas unidades oficiais. Já o AliExpress, serviço de vendas internacionais do Grupo Alibaba, revelou que vai abrir sua plataforma para vendedores brasileiros.

A Xiaomi informou que vai inaugurar lojas, ainda neste ano, em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Salvador. Em comunicado, a companhia especificou que os shoppings que receberão as novas lojas serão o BarraShopping e ParkJacarepaguá, no Rio de Janeiro, MorumbiShopping, em São Paulo, ParkShoppingBarigüi, no Paraná, além de estrear uma Store in Store na loja da Fast Shop, localizada no Parque D. Pedro Shopping, em Campinas, a partir de 21 de agosto.

PUBLICIDADE

A inauguração no BarraShopping-RJ ocorre entre os dias 9 e 12 de setembro. A unidade de Curitiba será aberta ainda em setembro. As demais datas de inauguração serão reveladas em breve.

A marca de smartphone, que já contava com duas lojas físicas em São Paulo, canal e-commerce e parcerias estratégicas com grandes varejistas, operadoras e marketplaces nacionais, está presente em mais de 7 mil pontos de venda espalhados por todo o Brasil, disse a Xiaomi.

Marketplace

PUBLICIDADE

Já o AliExpress anunciou que, com a abertura de seu marketplace para todos os vendedores brasileiros, os lojistas poderão se beneficiar, sem nenhum custo mensal, do tráfego e dos milhões de usuários que o AliExpress acumula no Brasil há 11 anos, quando estreou no país.

“Ao abrir sua plataforma para os lojistas brasileiros, o AliExpress decidiu oferecer, no Brasil, comissões mais baixas e mais competitivas que a média do mercado nacional. Lojistas pagarão valores entre 5% e 8% (os percentuais variam conforme a categoria dos produtos vendidos) de seu faturamento à plataforma, que irá assegurar, além de sua tecnologia e base de usuários, um serviço integrado de logística. O serviço de entregas do AliExpress permitirá frete gratuito para todo o território nacional nas vendas de lojistas brasileiros para consumidores localizados no Brasil”, informou o AliExpress.

O envio de produtos dentro do território nacional será coordenado pela Cainiao, empresa de logística do grupo Alibaba, que já possui operação no Brasil. Os técnicos da Cainiao serão responsáveis por adicionar tecnologias avançadas do grupo Alibaba no Brasil e coordenar os serviços prestados por diversos parceiros locais.

“Vendedores que abrirem sua loja no AliExpress poderão se beneficiar, ainda, de ferramentas de marketing inovadoras criadas pelo grupo Alibaba para melhorar a conversão e performance de suas vendas”, informou o serviço do Grupo Alibaba. Canais como a Universidade AliExpress, por exemplo, já oferecem, em português, cursos técnicos de marketing digital e um serviço de suporte via call center disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, para tirar dúvidas dos novos vendedores que ingressam na plataforma.

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.