PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Sócios da CCR liberam Andrade Gutierrez a vender participação para gestora IG4 Capital

Acionistas decidem não exercer direito de preferência na compra de fatia de 14,86% das ações detidas pela Andrade Gutierrez no negócio

Andrade Gutierrez poderá vender sua participação na CCR, empresa de concessões de rodovias, entre outros ativos
09 de Agosto, 2021 | 11:23 am
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — Os sócios controladores da CCR, operadora de concessões de infraestrutura e mobilidade urbana, deram o sinal verde para a saída da empreiteira mineira Andrade Gutierrez da estrutura acionária da companhia. Nesta segunda-feira (9), a CCR divulgou que os acionistas não vão exercer o direito de preferência na compra de 14,86% da participação detida pela Andrade Gutierrez, abrindo o caminho para a venda dessa fatia para a empresa de private equity IG4 Capital.

A intenção da Andrade Gutierrez de vender sua participação foi divulgada pela CCR no último dia 7 de maio. O acordo de acionistas da CCR indicava um prazo de 30 dias para os outros dois acionistas controladores, a Camargo Corrêa (grupo Mover Participações, dono de 14,86% da companhia) e Soares Penido (que detém 15,05% da CCR), de exercer ou não o direito de preferência para adquirir a fatia.

PUBLICIDADE

“A companhia recebeu, no dia 7 de agosto, carta enviada pela acionista Andrade Gutierrez Participações S.A., com cópia aos demais signatários do Acordo de Acionistas, por meio da qual a AG Participações comunica que foi recusada pelas partes ofertadas o exercício de seu direito de preferência, dado que o prazo de exercício transcorreu sem que houve o aceite a oferta, conforme os termos previstos em referido acordo”, informou a CCR, em comunicado ao mercado.

A participação de 14,86% na gigante de concessões de infraestrutura era considerada a “joia da coroa” da Andrade Gutierrez, que está livre agora para a venda das ações para a gestora IG4 Capital.

Fundada por Paulo Mattos em 2016, a IG4 atua no setor de infraestrutura no país, controlando a Iguá Saneamento, que atraiu aportes bilionários de fundos canadenses e venceu a disputa por um dos blocos da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) em abril.

Desde 2020, a IG4 também é dona de uma das principais empresas de infraestrutua do Peru, o Graña y Montero, além do Corredor Logística e Infraestrutura (CLI), que opera grãos no porto de Itaqui (MA), além de outros investimentos em outros setores.

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE