PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Nubank define bancos líderes e IPO pode acontecer nos próximos meses nos EUA

Listagem é esperada para ocorrer dentro de três meses e será em bolsa nos Estados Unidos, segundo o Valor

"No Nubank, conseguimos ver o impacto social transformador que as fintechs podem ter em termos de inclusão financeira e educação"
09 de Agosto, 2021 | 05:42 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — O Morgan Stanley irá liderar uma possível oferta inicial de ações (IPO) do Nubank, conforme o site Pipeline, do Valor. Goldman Sachs e Citi também devem completar a linha de frente da operação, que ainda define os demais bancos participantes da distribuições. Conforme o jornal, sem dizer como obteve a informação, a listagem será em bolsa nos Estados Unidos e deve ocorrer em até três meses.

O IPO promete ser o maior dos últimos tempos no país, conforme o Pipeline citando uma fonte que acompanha a preparação da operação. A maior oferta inicial de ações no país foi da subsidiária brasileira do Santander, de R$ 13,2 bilhões em 2009. A BB Seguridade levantou R$ 11,5 bilhões em 2013.

PUBLICIDADE

O Nubank tem hoje 40 milhões de usuários e uma avaliação de cerca US$ 30 bilhões. Segundo a reportagem, bankers brasileiros estimam que a fintech pode ser aproximar dos US$ 45 bilhões a 50 bilhões iniciais de valuation. O valor da captação esta ainda em definição.

Em entrevista à Bloomberg Línea no início deste mês, o CEO e cofundador do Nubank, David Vélez, disse que já é possível ver o impacto das fintechs no mercado brasileiro, apesar de ser uma atuação recente. “Um estudo recente aponta que 3,8 milhões de pessoas alegaram não ter acesso a nenhum produto bancário antes de abrir conta no Nubank, e mais de 23,4 milhões de clientes disseram que conseguiram economizar dinheiro com os serviços do Nubank”, contou.

Procurado, o Nubank não quis comentar o caso.

VEJA TAMBÉM: David Vélez: “É um equívoco pensar que o Nubank é só para millenials”

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE