Cripto

ETF de ethereum se junta a outros dois fundos de índice ligados a criptoativos na B3

Para a Bolsa brasileira, cotas de ativos digitais abrem possibilidade de diversificação aos investidores

Equipe da QR Capital participa de lançamento do ETF de ethereum na cerimônia de toque da campainha
04 de Agosto, 2021 | 04:22 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — A B3 ganhou, nesta quarta-feira (4), o terceiro ETF (Exchange Traded Fund, ou fundo de índice, em inglês) referenciado em criptoativo. Negociado sob o ticker QETH11, trata-se do primeiro ETF que replica o preço do ethereum, o segundo maior ativo digital do mercado, seguindo o índice CME CF Ether Reference Rate, referência de contratos futuros de bitcoin negociados na Chicago Mercantile Exchange Group.

A gestora QR Asset Management, do grupo QR Capital, é responsável pelo ETF de ethereum.

“Com ETFs dos dois principais ativos digitais do mercado na B3, o investidor ganha autonomia para elaborar sua própria estratégia, o que se alinha com o objetivo da QR Capital de oferecer opções robustas para que o investidor possa entrar no mercado cripto de forma segura, simplificada e com total autonomia para montar sua própria carteira”, disse Fernando Carvalho, CEO da gestora.

No último mês, foi lançado o o QBTC11, ETF de bitcoin (BTC). O primeiro ETF de criptomoedas da bolsa brasileira foi o HASH11, que estreou em 22 de abril, lançado pela gestora brasileira Hashdax, com ajuda da Nasdaq, que replica a carteira do NCI (Nasdaq Crypto Index).

“A B3 está atenta para viabilizar as demandas do mercado e proporcionar mais diversificação aos investidores. Os ETFs de ativos digitais abrem essa nova possibilidade aos investidores aqui no Brasil”, disse Rogerio Santana, diretor de relacionamento da B3.

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE