promo
Agro

ONS começa a receber energia excedente gerada a partir de biomassa

Usinas de cana-de-açúcar já geraram 12,2 mil GWh até julho, energia suficiente para atender 6,3 milhões de residências

Tempo de leitura: <1 minuto

São Paulo — O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) começa a receber a partir de amanhã o excedente de energia elétrica produzido pelas termelétricas à biomassa, típicas do setor sucroenergético. A medida atende a portaria do Ministério de Minas e Energia e tem por objetivo abastecer o Sistema integrado no atual momento de escassez hídrica do país.

As ofertas adicionais de energia poderão ser apresentadas até 2022, o que permitirá um melhor planejamento dos excedentes de energia produzidos a partir de biomassa na próxima safra. “A biomassa poder ajudar o Sistema Interligado com uma energia renovável e sustentável”, afirma Zilmar Souza, gerente de bioeletricidade da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

Mesmo a moagem canavieira acumulando queda de 7,36%, desde o início do ciclo 2021/22 até a primeira metade de julho, a geração de energia pela biomassa à rede já foi de 12,2 mil GWh neste ano, equivalente a 16% de toda a geração de energia elétrica pela Usina Itaipu em 2020. O volume de energia produzido a partir da biomassa é capaz de atender 6,3 milhões de residências, além de reduzir as emissões de CO2, estimadas em 3,4 milhões de toneladas.

Alexandre Inacio

Alexandre Inacio

Jornalista brasileiro, com mais de 20 anos de carreira. Com passagens pela Gazeta Mercantil, Broadcast e Valor Econômico, também atuou como chefe de comunicação de multinacionais, órgãos públicos e como consultor de inteligência de mercado de commodities.