Mercados

Petróleo se estabiliza com demanda afetada pelo ressurgimento do vírus

Variante delta assusta mas mercado de petróleo se recupera

Preços são afetados por preocupação com variante delta
Por Grant Smith e Elizabeth Low
27 de Julho, 2021 | 05:57 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O petróleo se estabilizou frente à ameaça a demanda de combustível, mesmo com os mercados globais de petróleo bruto continuando a se estreitar.

Futuros flutuaram perto de US$ 72 o barril em Nova York. A recuperação nos principais consumidores de energia, como os EUA e a China, ajudou a sustentar o aumento do consumo de combustível e a drenagem dos estoques inchados acumulados durante a pandemia. No entanto, a variante delta, que se espalha rapidamente, levantou algumas preocupações sobre a perspectiva da demanda no curto prazo.

“A rápida disseminação da variante delta do coronavírus está causando desconforto entre os participantes do mercado, já que as previsões de demanda podem ter que ser revistas para baixo devido à reintrodução de bloqueios e restrições de mobilidade em todo o mundo”, afirmou Tamas Varga, analista da PVM Oil Associates Ltd. em Londres.

A delta interrompeu uma alta do petróleo que começou no final do ano passado e os preços se encaminham para apenas a segunda queda mensal desde outubro. O surto reduziu a demanda por combustível em algumas regiões e coincidiu com um acordo da OPEP+ para adicionar mais oferta a partir de agosto. Apesar dos ventos contrários, há expectativas de que o mercado continue a se contrair ao longo de 2021.

Preços

  • O West Texas Intermediate para entrega em setembro teve pouca alteração a US$ 71,86 o barril na NYMEX às 8h49, horário local.
  • O Brent para liquidação em setembro ganhou 0,2%, a US$ 74,66 na bolsa ICE Futures Europe, após subir 0,5% na segunda-feira.

As infecções por Covid-19 em todo o mundo aumentaram devido a um aumento nos EUA e aos baixos níveis de vacinação nos países do sudeste asiático. A taxa de teste positivo na Indonésia é a pior da Ásia, enquanto Tailândia e Vietnã introduziram toques de recolher para conter a disseminação do vírus.

Outras notícias do mercado:

  • O etano, componente-chave na produção de plástico, atingiu sua maior alta em quase dois anos e meio nos EUA, com a demanda crescendo à medida que as economias globais se recuperam da queda do ano passado.
  • A divisão de petroquímicos da Exxon Mobil Corp., um segmento frequentemente esquecido dos negócios da grande petrolífera, está sobrecarregando sua recuperação financeira e provavelmente registrará lucros recordes esta semana devido ao aumento dos preços dos plásticos.
  • Um ex-trader de petróleo britânico da Glencore Plc se declarou culpado nos EUA de participar de um esquema internacional para subornar oficiais na Nigéria para obter tratamento favorável da estatal de petróleo do país.
  • American Airlines Group Inc. e Southwest Airlines Co. estão transportando combustível extra para aviação em alguns voos e considerando adicionar paradas a outras rotas para pegar combustível, após atrasos em entregas para aeroportos de pequeno e médio porte em todo o país causados por complicações nas cadeias de suprimento e no transporte rodoviário.