Agro

Lucro global da ADM cresce 50% no 2º trimestre do ano

Empresa registra resultado líquido de US$ 712 milhões entre abril e junho, com vendas globais de quase US$ 23 bilhões no período

Empresa registrou um crescimento de 50% em seu lucro líquido no segundo trimestre do ano. Exportações de milho para a China a partir dos Estados Unidos contribuiu para resultado positivo.
27 de Julho, 2021 | 05:44 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

A americana Archer Daniels Midland (ADM) anunciou hoje um lucro líquido de US$ 712 milhões no segundo trimestre do ano. O resultado representa um crescimento de 50,8% em comparação ao lucro do mesmo período do ano passado. Entre abril e junho, a multinacional de comércio e processamento de grãos registrou vendas globais de US$ 22,9 bilhões, desempenho 40,8% maior do que o apresentado no segundo trimestre do ano passado.

“Esta é uma ADM muito diferente do que a de alguns anos atrás, e nossa transformação está longe de terminar. Nossos esforços de produtividade estão impulsionando nossa execução e apoiaram resultados excepcionais”, disse em nota Juan Luciano, CEO da ADM.

Juan Luciano, CEO da ADM, diz que empresa está muito diferente do que era há um ano e que as transformações ainda não acabaram
dfd

A unidade de serviços agrícolas e óleos vegetais apresentou um lucro operacional de US$ 570 milhões, crescimento de 38%. Segundo a empresa, as exportações da América do Norte aumentaram em volume, principalmente no que se refere aos embarques de milho para a China. Na América do Sul, a originação de grãos sofreu com o atraso nas entregas dos produtores.

A área de soluções em carboidratos registrou um lucro operacional de US$ 383 milhões, quase o dobro do resultado obtido no segundo trimestre do ano passado, de US$ 195 milhões. Segundo a empresa, as operações de amidos e adoçantes, incluindo a produção de etanol, entregaram resultados mais altos, impulsionadas por ganhos de US$ 90 milhões em todo o complexo de etanol, bem como resultados positivos com óleo de milho.

PUBLICIDADE

“Os volumes de adoçantes foram maiores, refletindo o início de uma recuperação da demanda do canal de foodservice. As margens do etanol melhoraram em relação ao mesmo período do ano anterior”, disse a empresa.

Já a unidade de nutrição, que desenvolve produtos para alimentação humana e animal, registrou um lucro operacional de US$ 201 milhões no segundo trimestre, 27% a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado. As vendas foram 13% maiores do que no segundo trimestre do ano passado.

Na América do Norte e EMEA, o negócio de aromas entregou grandes volumes e melhor mix de produtos, especialmente no segmento de bebidas. Ingredientes Especiais proporcionaram forte crescimento nas vendas de proteínas especiais, embora os resultados tenham sido menores devido a certos custos. A receita da Nutrição Animal foi 17% maior, conforme a demanda e as margens melhores em aminoácidos, aditivos e ingredientes para rações. O melhor desempenho na EMEA mais do que compensou os impactos gerados pela COVID-19 em outras regiões.

Alexandre Inacio

Alexandre Inacio

Jornalista brasileiro, com mais de 20 anos de carreira, editor da Bloomberg Línea. Com passagens pela Gazeta Mercantil, Broadcast (Agência Estado) e Valor Econômico, também atuou como chefe de comunicação de multinacionais, órgãos públicos e como consultor de inteligência de mercado de commodities.

PUBLICIDADE