Olimpíadas de Tóquio têm mais 16 casos de vírus, incluindo três atletas

Especialistas continuam preocupados com o efeito dos jogos na disseminação do vírus

Jogos preocupam especialistas quanto à pandemia, mesmo sem público
Por Isabel Reynolds
26 de Julho, 2021 | 01:06 PM

Bloomberg — Os organizadores das Olimpíadas relataram mais 16 casos de coronavírus, incluindo três infecções entre atletas, enquanto os jogos de Tóquio ocorrem sem espectadores e continuam sob rígidas restrições sanitárias.

Entre os que tiveram resultado positivo estão funcionários e colaboradores da Tokyo 2020, de acordo com um comunicado no site da organização, além de outros oito ligados aos jogos, cujas funções exatas não foram esclarecidas. Seis do total são residentes no Japão, embora o comunicado não identifique as nacionalidades dos atletas ou os eventos nos quais eles estavam programados para competir.

Apenas um dos afetados estava na Vila Olímpica. Os novos números elevam para 148 o número total de infecções relatadas relacionadas ao evento.

O governo japonês e os organizadores tentaram superar a inquietação do público em relação aos jogos, prometendo torná-los “seguros e protegidos”. O governador de Tóquio Yuriko Koike e o primeiro-ministro Yoshihide Suga se reuniram no domingo para discutir a situação e concordaram que os Jogos estavam indo “muito bem”, relatou o Kyodo News.

PUBLICIDADE

Jogos sem expectadores

Uma pesquisa publicada pelo jornal Nikkei na segunda-feira descobriu que 37% dos entrevistados disseram que a decisão de realizar o evento sem espectadores foi apropriada, enquanto 28% disseram que alguns espectadores ou multidões deveriam ter sido permitidos. Outros 31% disseram que o evento deveria ter sido adiado novamente ou cancelado imediatamente.

Muitos residentes do Japão se opuseram à realização dos jogos em meio à pandemia, temendo que a chegada de dezenas de milhares de atletas e outras pessoas de todo o mundo pudesse tornar o evento mais difundido. Enquanto segunda-feira marca o quinto dia consecutivo de infecções em dois dígitos, com um recorde de 19 relatado na sexta-feira, o total até agora é relativamente pequeno como uma porcentagem do número de participantes. Apenas 0,02% dos testes nos três dias até domingo apresentaram resultado positivo.

PUBLICIDADE

No entanto, alguns especialistas continuam preocupados com o efeito dos jogos na disseminação do vírus, à medida que a variante delta, mais infecciosa, se torna mais dominante.

“É melhor assumir que nossa experiência e conhecimento até agora não se aplicam à variante delta”, disse Norio Sugaya, especialista em doenças infecciosas e professor visitante da escola de medicina da Universidade Keio. “Há uma dúvida considerável sobre a eficácia do atual sistema de ‘bolhas’ contra a variante delta.”

O porta-voz do Comitê Olímpico Internacional, Mark Adams, disse que embora fosse impossível tornar o evento “de risco zero”, os participantes constituíam “a comunidade mais testada do mundo”.

As Olimpíadas estão ocorrendo em meio a um estado de emergência viral em Tóquio, sob o qual bares e restaurantes estão sendo instados a parar de servir bebidas alcoólicas e fechar às 20h. O número de casos na capital aumentou para 1.763 no domingo, embora o número de casos graves tenha caído de dois para 72.

--Com assistência de Ayai Tomisawa, Jane Pong e Tsuyoshi Inajima.

Leia mais em Bloomberg.com