Negócios

United aposta no futuro supersônico com aquisição de aviões da Boom por US$3 bi

Companhia aérea comprará 15 jatos supersônicos que devem transportar passageiros em 2029, disseram as empresas

United garantiu opções de compra para mais 35 aviões supersônicos
Por Justin Bachman
30 de Junho, 2021 | 04:55 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

(Bloomberg) A United Airlines Holdings Inc. está entrando no mercado de possíveis viagens supersônicas com o primeiro pedido de aeronaves Overture da Boom Technology Inc., apostando que viajantes de negócios pagarão muito por viagens mais rápidas.

A companhia aérea comprará 15 jatos supersônicos, que devem transportar passageiros já em 2029, disseram as empresas em comunicado na quinta-feira. A US$ 200 milhões por aeronave, a transação está avaliada em US$ 3 bilhões a preço de tabela, afirma Blake Scholl, fundador e CEO da Boom. A United também garantiu opções de compra para mais 35 aviões.

A companhia planeja ser a primeira operadora do Overture, que terá capacidade para até 88 passageiros sentados. Os hubs costeiros da companhia aérea nos principais mercados de viagens de negócios tornam o jato “excepcionalmente útil” para a United, afirmou Mike Leskinen, vice-presidente de desenvolvimento corporativo. Embora o voo supersônico seja proibido nos EUA, a United prevê viagens de três horas e meia de Newark, New Jersey para Londres, e de seis horas de São Francisco a Tóquio.

“Isso carrega um valor tremendo para uma grande parte de nossos maiores clientes empresariais”, disse Leskinen. “Estamos de olho firmemente em Nova York a Londres para o lançamento, e avaliaremos as oportunidades além disso.”

PUBLICIDADE

A Boom está tentando superar os desafios aeronáuticos e financeiros necessários para trazer de volta voos comerciais supersônicos pela primeira vez desde a aposentadoria do europeu Concorde em 2003. Ainda é uma escalada difícil. A empresa arrecadou mais de US$ 250 milhões até agora, e os custos de desenvolvimento para tornar o primeiro voo do Overture uma realidade estão estimados em US$ 8 bilhões, afirma Scholl.

A empresa, sediada nos arredores de Denver, anunciou o acordo histórico com a United menos de um mês após o colapso da Aerion Corp., que arrecadou US$ 11 bilhões em pedidos para o jato executivo supersônico que a empresa iria projetar. Em 21 de maio, a Aerion afirmou que não foi capaz de garantir o financiamento adequado para seguir com o projeto.

Depósito em dinheiro

Para a Boom, o acordo com a United marca a primeira vez que um cliente faz um depósito em dinheiro para a aeronave de fibra de carbono Overture. A Japan Airlines Co. e o Virgin Group de Richard Branson fizeram “pré-encomendas”, o que essencialmente garante a eles opções para adquirir o jato, disse Boom.

PUBLICIDADE

A United está confiante no plano da Boom para ir “do ponto A ao ponto B ao ponto C” no desenvolvimento da Overture, segundo Leskinen. A companhia aérea com sede em Chicago se recusou a divulgar os detalhes financeiros da compra.

O mercado para novas aeronaves supersônicas pode alcançar US$ 160 bilhões em 2040, segundo um relatório de dezembro de Myles Walton, analista do UBS Group AG. A velocidade extra seria mais atraente para clientes empresariais, mas os preços podem ser muito altos para alguns, afirmou Walton.

Ao nível do mar, a velocidade do som é de 760 mph (1.223 km/h). Os jatos Overture voarão a cerca de 2.100 mph, ou Mach 1,7, cerca de duas vezes mais rápido que jatos convencionais, segundo dados da Boom. A altitude de cruzeiro de 60.000 pés será maior do que a maioria dos outros tipos de tráfego aéreo comercial. Assim como o Concorde, a aeronave quebrará a barreira do som apenas ao sobrevoar os oceanos.

“Já fiz inúmeras viagens de negócios pelos EUA que são viagens de um dia - posso voltar para ver meus filhos na mesma noite”, afirma Leskinen. “Isso abrirá a mesma possibilidade para a Europa Ocidental.”

Custos do Concorde

O Concorde voou por 27 anos até 2003, cruzando o Atlântico a Mach 2, ou mais de 1.500 mph. Mas, por causa de seu apetite voraz por combustível e altos custos operacionais, apenas duas companhias aéreas - Air France e British Airways - operaram a aeronave rotineiramente, e apenas cerca de 20 unidades foram produzidas. A Overture será 75% mais barata de operar, acrescentou Scholl.

PUBLICIDADE

No ano passado, a Boom anunciou uma parceria com a Rolls-Royce Holdings Plc para projetar o sistema de propulsão para a Overture, reaproveitando algumas das tecnologias do fabricante britânico de motores. O jato será “otimizado” para voar com combustível de aviação 100% sustentável e ter zero emissões de carbono líquidas, segundo a United.

Em outubro, a Boom revelou um modelo de demonstração em escala, o XB-1, que a empresa espera utilizar para voos de teste a partir deste ano. Essa aeronave será movida por motores mais antigos da General Electric Co., usados em diversos aviões de combate. A empresa planeja iniciar a produção da Overture em 2023.

“A alta velocidade vai substituir o subsônico em longas distâncias”, afirmou Scholl. “Nosso objetivo é desbloquear uma forma de viagem que não temos hoje.”

© 2021 Bloomberg L.P.

united airlinestechBloomberg Línea
PUBLICIDADE