Mercados asiáticos indicam abertura mista após resultados de Tesla e Netflix

Queda das cotações das duas empresas nas negociações do after market influencia no sentimento do investidor, que continua a monitorar os resultados corporativos

Rua de Tóquio neste verão no hemisfério Norte: bolsa japonesa sinaliza abertura com queda nesta quinta (20) (Foto: Soichiro Koriyama/Bloomberg)
Por Stephen Kirkland
19 de Julho, 2023 | 08:05 PM

Bloomberg — Os mercados asiáticos estão preparados para uma abertura cautelosa nesta manhã de quinta-feira (20), dado que os futuros de ações dos EUA caíram no início do pregão da Ásia, após resultados - e guidances - de empresas como Netflix e Tesla terem sido considerados decepcionantes por parte dos investidores.

Os futuros de ações para o Japão caíram na abertura do dia, enquanto os contratos para a Austrália foram pouco alterados. Um alívio de uma queda de dois dias em Hong Kong pode estar reservado, com os futuros de ações apontando para um pequeno ganho. Um índice de empresas chinesas listadas nos EUA se recuperou na quarta-feira (19) de seu pior dia em quase um mês.

Na Ásia, nesta quinta, a divulgação da balança comercial do Japão deve mostrar uma queda no déficit no mês passado com o aumento das exportações, enquanto a Austrália deve divulgar os números de empregos para junho, após uma melhora inesperada no mês anterior.

LEIA +
Fundo da SPX lidera as perdas até junho e Xavier cita erro em leitura do país

Enquanto isso, os futuros do S&P 500 e do Nasdaq 100 caíram na Ásia depois que a ação da Netflix (NFLX) caiu 8,96% nas negociações pós-mercado, já que as vendas ficaram abaixo das estimativas e sua previsão para o terceiro trimestre também ficou aquém.

PUBLICIDADE

A ação da Tesla (TSLA) caiu cerca de 4% no after market depois que a lucratividade encolheu no segundo trimestre, um sinal de que as margens da fabricante de veículos elétricos estão sendo comprimidas.

No pregão à vista na quarta, o S&P 500 subiu pelo terceiro dia seguido. O Nasdaq 100 terminou marginalmente em baixa, e o Dow Jones Industrial Average estendeu sua seqüência de ganhos pelo oitavo dia, o rali mais longo desde setembro de 2019.

A ação da Apple (AAPL) avançou depois que a Bloomberg News relatou seus esforços para construir ferramentas de Inteligência Artificial generativa, enquanto o Goldman Sachs (GS) terminou com ganho de quase 1% mesmo depois de divulgar uma queda de quase 60% nos lucros do segundo trimestre, contrastando com as perdas no início da semana de bancos de investimento semelhantes.

PUBLICIDADE

Os títulos do Tesouro dos EUA ganharam nesta quarta, estimulados por um relatório de inflação do Reino Unido no início da sessão, que derrubou os rendimentos.

As pressões de preços na Grã-Bretanha caíram para o nível mais baixo em 15 meses, acrescentando evidências de que os bancos centrais podem aliviar o aumento das taxas de juros. No entanto os ganhos na curva do Tesouro diminuíram após um aumento nos preços de commodities, incluindo o trigo, com um alerta da Rússia de que qualquer navio enviado para a Ucrânia seria visto como portador de armas.

O dólar subiu em relação a quase todos os seus pares do Grupo dos 10, com a libra caindo até 1,3%, na maior queda intradiária em mais de quatro meses. O iene e o australiano também estiveram entre os piores desempenhos na quarta-feira.

Nos EUA, a construção de novas residências recuou em junho, depois de subir um mês antes, enquanto os pedidos de construção, um proxy para a atividade futura, caíram.

Evidências de redução das pressões de preços nos EUA e no Reino Unido estão reforçando as esperanças entre os investidores de que a campanha de aperto monetário está chegando ao fim. No entanto dados econômicos instáveis deixaram claro que o Federal Reserve está longe de reivindicar a vitória contra a inflação.

“O risco de recessão diminuiu drasticamente”, disse Neil Dutta, chefe de economia da Renaissance Macro Research, na Bloomberg TV.

“Acho que os mercados estão certos em alocar um pouco mais para a história do soft landing, mas acho que você pode argumentar que talvez estejamos exagerando um pouco aqui e provavelmente deveríamos colocar mais algum potencial sobre o ressurgimento do cenário de boom inflacionário.”

PUBLICIDADE

Em outras notícias corporativas, a ação da Carvana ganhou 40% depois que a varejista de carros usados chegou a um acordo para reestruturar sua dívida e pediu para vender até US$ 1 bilhão em ações.

A ação da AT&T subiu 8,5% depois que a empresa de telecomunicações tranquilizou os investidores dizendo que menos de 10% de sua rede nacional de telecom com fio de cobre tinha cabos revestidos de chumbo.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Tesla vê reflexo de guerra de preços: margem bruta cai de 25% para 18,2%