CEO do Spotify planeja vender US$ 119 milhões em ações após alta de 267%

Daniel Ek, cofundador do gigante de streaming de áudio, fez o segundo pedido de venda de papéis em 2024; ações da empresa têm se beneficiado de recuperação financeira

Daniel Ek Photographer: Toru Yamanaka/AFP/Getty Images
Por Ben Stupples
29 de Abril, 2024 | 04:35 PM

Bloomberg — Daniel Ek, cofundador da Spotify (SPOT), tem embolsado os ganhos da recuperação das ações da gigante de streaming de áudio enquanto aumenta cada vez mais seus investimentos fora da empresa.

Ek entrou com pedido para vender 650.000 ações da empresa nos últimos meses por meio de duas transações separadas. É a primeira vez que ele se desfaz de ações mais de uma vez nesta fase do ano desde 2021, de acordo com dados compilados pela Bloomberg a partir de documentos regulatórios.

Ele registrou seu mais recente documento de venda na quarta-feira (24), envolvendo ações no valor de cerca de US$ 119 milhões por meio de uma operação do JPMorgan Chase. Em fevereiro, o CEO já havia feito outro registro de venda no valor de cerca de US$ 60 milhões em outra transação.

Ek vendeu as ações como parte de seu planejamento financeiro de longo prazo, disse um representante do Spotify.

PUBLICIDADE

O CEO de 41 anos ainda controla uma participação de aproximadamente 7% na empresa sediada em Estocolmo, que compõe a maior parte de sua fortuna de US$ 4,4 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index.

Leia também: De Luiza Trajano a Tânia Cosentino: mulheres lideram em reputação, diz consultoria

Ek se junta a uma onda de bilionários da tecnologia, incluindo Michael Dell, da Dell Technologies (DELL), Jeff Bezos, da Amazon (AMZN), e Mark Zuckerberg, da Meta Platforms (META), que estão reduzindo suas participações após uma alta nos preços das ações de suas empresas.

As ações do Spotify dispararam 267% desde o final de 2022, à medida que se recuperaram de uma desaceleração no crescimento e dos efeitos persistentes da pandemia.

Spotify's Stock Rebound | Co-founder Daniel Ek is pocketing gains from the recent jumpdfd

O Spotify teve o maior ganho em quase dois anos na terça-feira após relatar que voltou a ter lucro no primeiro trimestre devido ao aumento de assinantes e à adição de novos recursos.

Os assinantes pagos subiram 14% ano a ano para 239 milhões, em linha com as estimativas dos analistas compiladas pela Bloomberg. O total de usuários ativos, incluindo aqueles em planos gratuitos com publicidade, cresceu para 615 milhões.

Fora do Spotify, Ek tem transferido sua riqueza nos últimos anos para investimentos focados em inteligência artificial, ciências da vida e clima, como parte de seu plano de investir cerca de US$ 1 bilhão de sua fortuna líquida em startups europeias.

PUBLICIDADE

Sua empresa de investimento, Prima Matera, apostou na empresa de segurança alemã Helsing e no ano passado investiu 10 milhões de euros na Epiterna, uma startup suíça que trabalha no processo de desaceleração do envelhecimento.

Ek, que fundou o Spotify em 2006 com Martin Lorentzon, entrou com pedido para vender cerca de US$ 160 milhões das ações da empresa de streaming de áudio no ano passado em duas transações iniciadas em julho, mostram os registros.

Na primeira metade do ano de 2022, ele fez uma venda de mais de 800.000 ações em um único bloco, rendendo-lhe cerca de US$ 120 milhões.

O executivo, nascido na Suécia, reduziu sua participação na empresa em três ocasiões nos primeiros seis meses de 2021, embolsando mais de US$ 200 milhões em seu ano mais lucrativo de vendas desde a oferta pública inicial do Spotify em Nova York em 2018, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Outros acionistas individuais do Spotify também reduziram suas participações neste mês. Os copresidentes Alex Norström e Gustav Söderström registraram vendas de ações no valor de pelo menos US$ 35 milhões combinados, segundo documentos regulatórios.

Lorentzon, de 55 anos, reduziu sua participação mais recentemente no Spotify em 2021. A empresa ainda compreende quase toda a sua fortuna de aproximadamente US$ 6,5 bilhões, de acordo com o índice de riqueza da Bloomberg.

Veja mais em Bloomberg.com