Mercados

China sinaliza apoio e sustenta alta de bolsas na Ásia; futuros de NY sobem

Espera-se que a China corte os juros pela segunda vez este ano na sexta-feira e reduza a taxa do compulsório em breve

Estos activos son los más expuestos a la inflación provocada por materias primas
Por Andreea Papuc
13 de Abril, 2022 | 09:53 pm
Tempo de leitura: 2 minutos
Últimascotações

Bloomberg — A maioria das ações asiáticas subiu nesta quinta-feira depois que a China indicou novamente que uma política monetária mais frouxa está a caminho e os operadores de títulos reduziram as apostas agressivas nos aumentos das taxas de juros do Federal Reserve.

Um indicador de ações da Ásia-Pacífico subiu pelo segundo dia, com ganhos no Japão e na Austrália, enquanto o mercado da Coréia do Sul ficou para trás. Os futuros de ações dos EUA oscilaram perto da estabilidade depois que um rali do setor de tecnologia ajudou Wall Street a interromper três dias de queda.

Espera-se que a China corte os juros pela segunda vez este ano na sexta-feira e reduza a taxa do compulsório em breve – o gabinete do país sinalizou fortemente a última medida, já que os lockdowns contra a covid minam a economia.

Os títulos do Tesouro dos EUA de vencimento mais curto tiveram nesta quarta-feira. A recuperação nesta semana sugere que os investidores estão repensando até que ponto o Fed aumentará as taxas. Alguma moderação no indicador de preços ao consumidor dos EUA estimulou a especulação de que a inflação está chegando ao pico, embora um dado recorde de 11,2% dos preços ao produtor alerte contra julgamentos precipitados.

PUBLICIDADE

O iene recuperou uma baixa de duas décadas em relação ao dólar. O dólar estendeu a baixa depois de quebrar sua maior sequência de alta desde 2020. O petróleo manteve a maior parte de um rali para cerca de US$ 104 o barril devido a preocupações com um déficit de oferta.

O salto nos preços das commodities, exacerbado pela guerra da Rússia na Ucrânia, continua a se espalhar pela economia global e colorir o sentimento do mercado. O CEO do JPMorgan Chase & Co. (JPM), Jamie Dimon, disse que a inflação e o conflito estão criando desafios “significativos”. A instituição foi a primeira dos grandes bancos dos EUA a divulgar lucros.

“As expectativas de aumento da taxa do Fed serão testadas nos próximos meses”, em parte devido aos riscos geopolíticos, escreveu em nota Ed Moya, analista sênior de mercado da Oanda.

Nos últimos desenvolvimentos sobre a guerra e o isolamento da Rússia, a União Europeia alertou os estados membros que a exigência do presidente Vladimir Putin de que “países hostis” efetivamente paguem pelo gás russo em rublos violaria as sanções.

PUBLICIDADE

Isso aumenta as dúvidas sobre a segurança energética da Europa, já que Putin ameaçou interromper o fornecimento de gás aos compradores que não cumprem o decreto.

Os EUA expandirão o tamanho e o escopo das armas que estão fornecendo à Ucrânia em um novo pacote de assistência militar de US$ 800 milhões, testando os limites de até onde a ajuda pode ir sem atrair os EUA diretamente para a guerra.

Eventos para acompanhar esta semana:

  • Resultados corporativos: A temporada começa incluindo relatórios do Citigroup (C), Goldman Sachs (GS), Morgan Stanley (MS), Taiwan Semiconductor Manufacturing, Wells Fargo (WFC);
  • Decisão da taxa do BCE, quinta-feira;
  • Decisão política monetária do Banco da Coreia, quinta-feira;
  • EUA: vendas no varejo, pedidos iniciais de seguro-desemprego, estoques de negócios, sentimento do consumidor da Universidade de Michigan, quinta-feira;
  • A presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, e o presidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, devem falar na quinta-feira;
  • EUA: mercados de ações e títulos fechados para a Sexta-feira Santa.

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

Ações

  • Os futuros de S&P 500 (ESA) subiam 0,1% às 9h50 em Tóquio (21h50 em Brasília). Na terça, o S&P 500 (SPX) subiu 1,1%;
  • Os futuros do Nasdaq 100 (NQA) tinham alta de 0,2%. O Nasdaq 100 (NDX) subiu 2%;
  • O índice Topix (TOPIX), de Tóquio, subia 0,7%;
  • O índice Kospi (KOSPI), de Seul, recuava 0,3%;
  • O índice S&P/ASX 200 da Austrália (AS51) subia 0,6%;
  • Os futuros do Hang Seng (HSI) subiam 0,5% mais cedo;

Moedas

  • O iene japonês (JPY) operava a 125,37 por dólar;
  • O yuan offshore (CNH) operava a 6,3750 por dólar;
  • O Bloomberg Dollar Spot Index (DXY) recuava 0,1%;
  • O euro (EUR) operava a US$ 1,0892;

Renda fixa

  • O rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos estava sendo negociado em 2,7%;
  • O rendimento de 10 anos da Austrália caía cinco pontos base para 3,03%;

Commodities

  • O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) era negociado a U$ 103,74 o barril, com baixa de 0,5%;
  • O ouro era negociado a US$ 1.975,15 a onça.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE