+ Mercado Bitcoin

Blockchain ganha importância dentro do varejo

Uso de tecnologia de registros distribuídos na cadeia de produção de gigantes varejistas como Carrefour e Amazon amplia as boas práticas de gestão

Grandes varejistas se rendem à tecnologia blockchain para ganhar eficiência e maior controle de sua cadeia produtiva
Tempo de leitura: 3 minutos

Por Gino Matos para Mercado Bitcoin

São Paulo — Após a primeira alta exponencial de preço que levou as criptomoedas ao mainstream, ocorrida em 2017, mesmo com a queda de 70% exibida pelo Bitcoin no ano seguinte, uma palavra seguiu no vocabulário dos novos entusiastas e empresas que acompanharam essa movimentação: blockchain.

A tecnologia blockchain, que leva infraestrutura para as moedas digitais, passou a ter seu uso cogitado por grandes corporações. Desde então, grandes empresas, como Amazon e Carrefour, passaram a interagir com os registros distribuídos para controlar processos, como as cadeias de produção e logística.

“Com a blockchain, toda movimentação de um produto pode ser rastreada, da produção até a entrega final. Desse modo, o cliente tem acesso a toda a cadeia produtiva, assegurando a procedência e a qualidade. Para as empresas, isso pode se traduzir em melhor uso de algoritmos para prever tempo de produção, reposição de estoque e entrega”, diz Rafael Caldas, Líder de Operações da Amazon Logistics.

Benefícios da blockchain em cadeias de produção

Caldas avalia que, no modelo atual de controle da cadeia de produção sem o emprego de blockchain, cada participante – fabricante, distribuidor, vendedor e transportador do produto – usa seu próprio repositório de dados. Ele explica que, nesse modelo, todos visualizam só suas etapas em processos referentes a um produto e não o todo.

“Hoje, nosso processo nos Centros de Distribuição e entrega via Amazon Logistics nos dão ampla visibilidade de cada etapa operacional. Isso nos traz vantagens e, adicionalmente, maior satisfação do cliente pela rapidez e acuracidade nas entregas.”

A Amazon utiliza a solução Track and Trace, de criação própria da gigante do varejo, para registrar a cadeia de produção em blockchain. A solução também é comercializada para outras empresas que queiram aplicar os registros distribuídos em suas operações.

Outro caso de uso da blockchain em cadeias de distribuição é o programa Act For Food, do Carrefour, que definiu como obrigatório o uso dessa tecnologia para rastrear a marca exclusiva Sabor & Qualidade, composta por produtos fornecidos por agentes certificados pelo grupo. Atualmente, o Carrefour é o único varejista do Brasil a adotar blockchain na rastreabilidade de alimentos.

“A tecnologia blockchain agrega na rastreabilidade, por ser imutável e impedir fraudes nas informações, e, por ser uma plataforma visível a todos os elos da cadeia, gera comprometimento e engajamento de todos”, conta Marcelo Lopes, Diretor Executivo de Supply Chain do Carrefour Brasil. O grupo utiliza a plataforma IFT, solução blockchain desenvolvida pela IBM.

Lopes acrescenta que há “um ganho relevante na gestão da qualidade e segurança de alimentos, além de agilidade no acompanhamento de não-conformidades e recalls” com o uso da blockchain. Ele ressalta ainda que a tecnologia está alinhada ao propósito da marca Sabor & Qualidade, que é dar transparência ao consumidor final.

Crescimento até 2026

Uma pesquisa realizada pela empresa focada em relatórios mercantis TechNavio, publicada em março, prevê que o uso de blockchain em cadeias de produção crescerá em US$ 3,32 bilhões até 2026. Marcelo Lopes, do Carrefour, acredita que há espaço para que tal crescimento aconteça nos próximos quatro anos.

A visão de Lopes é justificada por dois motivos: a primeira é a já mencionada transparência dada aos consumidores acerca da cadeia de produção de um bem de consumo, enquanto a segunda tem a ver com o crescente foco sobre o tema ESG, sigla em inglês para questões envolvendo governança ambiental, social e corporativa.

“Esse tema tem se tornado diretriz do mercado global, e as empresas precisarão adotar a blockchain nos procedimentos de rastreio em suas cadeias para garantir responsabilidade social, sustentabilidade e qualidade dos seus produtos.”

Rafael Caldas, da Amazon, compartilha da visão de Lopes no que diz respeito ao crescimento do uso de blockchain em cadeias de produção de empresas. Ele ressalta, porém, que o avanço depende da popularização desta tecnologia e outros recursos utilizados em conjunto, como a internet das coisas.

“Muito ainda será feito com blockchain em cadeias de produção. As tecnologias estão surgindo agora e a adoção virá com a percepção clara das vantagens que a segurança da informação pode trazer para as empresas e seus clientes. Esse segmento tem uma expectativa grande de crescimento devido aos preços cada vez menores das tecnologias providas pelos players dominantes no mercado”, finaliza Lopes.

Mercado Bitcoin

Mercado Bitcoin

A maior plataforma de criptomoedas da América Latina