PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Nasdaq derrete 2,5% com sell-off de ações de tecnologia

O potencial de ganhos de longo prazo do segmento, consideradas relativamente caras, pode se tornar menos atraente

Amenaza por parte de  las crecientes tasas de bono
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — Empresas de tecnologia lideraram as perdas entre as ações nesta quinta em meio a indicações generalizadas de autoridades do Federal Reserve para aumentar as taxas de juros para evitar que a inflação se enraíze na economia dos EUA.

Os operadores também avaliaram as notícias de que a Suprema Corte, ainda dividida sobre o caso, bloqueou a peça central do esforço do presidente Joe Biden para vacinar mais pessoas, rejeitando uma regra que exigiria que 80 milhões de trabalhadores recebessem injeções ou fizessem testes periódicos.

PUBLICIDADE

O Nasdaq 100 (SDX) afundou mais de 2,5%, liderado por perdas de Microsoft Corp. (MSFT) e Tesla Inc (TSLA). Os fabricantes de chips zeraram os ganhos que antes estavam sendo impulsionados pelas projeções de crescimento da Taiwan Semiconductor Manufacturing Co. As ações da Boeing Co. (BA) reagiram quando a Bloomberg News informou que o 737 Max deve retomar os voos comerciais na China ainda este mês.

A governadora do Fed, Lael Brainard, disse que as autoridades podem aumentar as taxas já em março para garantir que as pressões nos preços sejam controlados. O presidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker, é a favor de uma alta em março e três ou quatro aumentos em 2022. Seu colega de Chicago, Charles Evans - que vê um número semelhante de aumentos este ano - disse que não poderia julgar a probabilidade de o primeiro aumento ser recebido em dois meses. O presidente do Fed de Richmond, Thomas Barkin, disse que as autoridades estarão em posição de começar a normalizar as taxas em sua reunião de março, se as circunstâncias permitirem que isso ocorra.

“Estamos em uma posição em que muito do que foi positivo para as ações talvez esteja se movendo para o campo neutro ou negativo. Embora ainda existam poucas alternativas, isso torna o mercado de ações maduro para mais flutuações nos próximos meses, à medida que vemos como os dados impactam e como o Fed reage”, disse Sarah Hunt, gerente de portfólio da Alpine Woods Capital Investors.

PUBLICIDADE

Recuperação bancária

O aumento das taxas - resultado de um forte crescimento econômico - pode levar os investidores a ações de valor, que tendem a ser mais cíclicas e oferecem fluxos de caixa de curto prazo. O potencial de ganhos de longo prazo das empresas de tecnologia, consideradas relativamente caras, pode se tornar menos atraente em meio à inflação elevada.

“A tecnologia é o exemplo clássico de uma área em que as ações realmente se beneficiaram da queda nas taxas”, disse Kara Murphy, diretora de investimentos da Kestra Investment Management. “À medida que as expectativas aumentam para as taxas daqui para frente, faz sentido que essa seja a área que sofra mais.”

Os preços pagos aos produtores dos EUA desaceleraram em dezembro, pois dois dos principais impulsionadores da inflação em 2021 – alimentos e energia – caíram em relação ao mês anterior, representando uma pausa na recente tendência de aumentos consideráveis. Ao mesmo tempo, os produtores continuaram a enfrentar uma variedade de escassez de materiais, oferta limitada de mão de obra e gargalos de transporte que elevaram os preços no ano passado.

PUBLICIDADE

Os clientes do Morgan Stanley esperam que as ações financeiras tenham um desempenho superior este ano, de acordo com uma pesquisa em sua conferência anual nesta semana. A pesquisa mostra que 45% dos entrevistados apostam que o setor terá o melhor desempenho em 2022. Essa é a maior parcela de votos para o setor desde 2015, disse a empresa em nota na quinta-feira.

Aqui estão alguns eventos importantes desta semana:

  • Decisão política monetária e briefing do Banco da Coreia, na sexta-feira;
  • Wells Fargo, Citigroup, JPMorgan devem divulgar resultados, na sexta-feira;
  • EUA: Estoques das empresas, produção industrial, sentimento do consumidor da Universidade de Michigan, vendas no varejo, na sexta-feira.
  • O presidente do Fed de Nova York, John Williams, fala na sexta-feira.

Alguns dos principais movimentos nos mercados:

PUBLICIDADE

Ações

O S&P 500 (SPX) terminou com baixa de 1,4%;

O Nasdaq 100 (SDX) caiu 2,6%;

O Dow Jones Industrial Average (INDU) caiu 0,5%;

PUBLICIDADE

O índice MSCI World caiu 1%;

Moedas

O Bloomberg Dollar Spot Index (DXY) ficou estável;

O euro (EUR) foi negociado estável a US$ 1,1452;

A libra britânica (GBP) foi negociada estável a US$ 1,3705;

PUBLICIDADE

O iene japonês (JPY) subiu 0,4% para 114,14 por dólar;

Renda fixa

O rendimento dos títulos do Tesouro dos EUA de 10 anos (GT10) caiu quatro pontos base para 1,70%;

O rendimento de 10 anos da Alemanha caiu três pontos base para -0,09%;

O rendimento de 10 anos da Grã-Bretanha caiu três pontos base para 1,11%;

PUBLICIDADE

Commodities

O petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI) caiu 1,4%, para US$ 81,46 o barril;

Futuros de ouro caíram 0,3% para US$ 1.821,20 a onça;

--Com assistência de Andreea Papuc, Cecile Gutscher, Nikos Chrysoloras e Vildana Hajric.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE