promo
Cripto

SEC rejeita ETF de Bitcoin, mostrando que ainda se opõe à listagem à vista

Órgão regulador emitiu nota nesta sexta-feira (12) que reitera sua preocupação quanto à violação de normas, que pode expor o mercado a vulnerabilidades

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos, a SEC, rejeitaram a proposta de um ETF que investe diretamente em Bitcoin, anulando as esperanças de que um produto há muito desejado finalmente fosse liberado, após a estreia, no mês passado, dos primeiros fundos vinculados a futuros da criptomoeda.

Em uma ação amplamente esperada, a SEC negou a aprovação à VanEck para que seu fundo de Bitcoin negociado em bolsa fosse negociado na Cboe Global Markets, marcando a primeira decisão sobre o assunto desde o lançamento dos primeiros ETFs de futuros de Bitcoin. Nesta sexta-feira (12), o órgão regulador emitiu uma portaria que reitera sua preocupação, já previamente declarada, de que basear um produto no preço à vista do Bitcoin poderia violar as regras de títulos porque o mercado ficaria muito vulnerável a abusos.

“A Comissão tem exigido sistematicamente que a exchange tenha um acordo abrangente de compartilhamento de vigilância com um mercado regulado de porte significativo relacionado ao Bitcoin, ou demonstre que outros meios para prevenir atos e práticas fraudulentas e manipuladoras são suficientes”, declarou a SEC. “A exchange não atendeu a esse requisito.”

O Bitcoin teve mais perdas após a rejeição, caindo 4,2%, para US$ 62.311. A maior criptomoeda teve novas máximas, de US$ 68.991, na segunda-feira (8).

O presidente da SEC, Gary Gensler, disse que se sente confortável com ETFs baseados em futuros de Bitcoin por serem negociados em exchanges altamente regulamentadas.

Embora muitos analistas tenham previsto que um ETF de futuros do Ether seja a próxima novidade a chegar ao mercado, o ETF de Bitcoin com respaldo físico continua sendo o produto Santo Graal. O primeiro pedido foi feito em 2013 pelos gêmeos Winklevoss, que são conhecidos por terem enriquecido com o Facebook.

O lançamento em outubro de dois ETFs de futuros de Bitcoin foi um marco importante para a indústria. O primeiro, o ProShares Bitcoin Strategy ETF, acumulou mais de US$ 1 bilhão em ativos em apenas alguns dias, enquanto o segundo, o Valkyrie’s Bitcoin Strategy ETF, teve uma recepção mais silenciosa, mas ainda assim, vigorosa. Suas estreias geraram muito entusiasmo sobre a aceitação de Wall Street da criptomoeda e aumentaram o otimismo quanto a uma postura mais receptiva por parte da SEC quanto a um fundo de Bitcoin fisicamente respaldado desta vez.

Hester Peirce, uma membra republicana da SEC, disse em uma conferência da Bloomberg, no início deste mês, que o órgão regulador divulgou o motivo da rejeição de um produto à vista. Ela tem criticado veementemente a recusa da agência em aprovar um fundo com respaldo no token spot.

“A razão é que os mercados de Bitcoin não se parecem com nossos mercados de títulos regulamentados”, disse ela na cúpula de 4 de novembro. “A questão é que os reguladores estão mais confortáveis com os mercados que se parecem com os nossos.”

--Com a colaboração de Ben Bain, Kenneth Sexton e Evan Kane.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Musk vende mais ações da Tesla, totalizando US$ 5,7 bilhões